EnglishFrenchPortugueseSpanish

Dra Maria Emília Gadelha responde à FAKENEWS montada pela agência de “xekagem”, Lupa

RESPOSTA AOS QUESTIONAMENTOS DO AGÊNCIA DE “XEKAGEM”, LUPA, SOBRE VÍDEO A RESPEITO DAS “VACINAS EXPERIMENTAIS” CONTRA A COVID-19

AGÊNCIA DE “XEKAGEM”

“A maioria dos casos graves hoje em dia são de vacinados no Brasil. Isso nós vemos no dia a dia das últimas semanas. (…) Agora aqui no Brasil, o banco de dados da Anvisa, primeiro complexo pra você fazer uma notificação. Pra você olhar o sistema VigiMed, que é o sistema para ler os relatórios, e ter uma noção do que tava acontecendo. Por exemplo, eu fiz esse estudo no dia 12 de julho e depois no dia 30 de julho. E aí o aumento no número de casos.”

FALSO Os dados do VigiMed – sistema da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para relatos de suspeitas de eventos adversos a medicamentos e vacinas – não podem ser usados como indicadores de problemas causados pelas vacinas. Isso porque qualquer pessoa pode inserir um relato na plataforma. Essas informações são investigadas posteriormente, para identificar se o problema teve alguma relação com um imunizante ou remédio. Portanto, não é possível afirmar que a maioria dos casos graves de Covid-19 foi registrada em pessoas já imunizadas a partir das informações desse sistema.

Por e-mail, a assessoria de imprensa da Anvisa explicou que os dados disponíveis no Painel de Notificações de Farmacovigilância referem-se a suspeitas de reações adversas e que não necessariamente essas notificações trazem dados suficientes para o estabelecimento de relação causal entre a vacina e o evento relatado — como óbito, por exemplo. “Entre os óbitos notificados à Anvisa não há relação causal identificada que altere o que já se sabe sobre as vacinas e a relação positiva entre benefício e risco”, diz a nota enviada pela agência. A Anvisa também informou que monitora e investiga os eventos e que essas informações são parte do conjunto maior de dados utilizados para o acompanhamento da relação de benefício-risco de um medicamento ou vacina.

Além disso, os percentuais de aumento de notificações das vacinas Janssen ou CoronaVac, indicados no vídeo, não têm qualquer relação com o que é, de fato, mostrado no Painel de Notificações de Farmacovigilância. Como já explicado pela Lupa, os dados disponíveis nessa plataforma não podem ser usados como “prova” de que as vacinas contra a Covid-19 2 aplicadas no Brasil são perigosas e podem causar problemas de saúde ou levar à morte. A ferramenta não permite chegar a esse tipo de conclusão.

“Até o momento, os dados conhecidos sustentam que as vacinas são seguras e efetivas. É natural ter um número maior de notificações para as vacinas contra Covid-19 pois, além de a Anvisa incentivar a notificação, as pessoas estão mais sensíveis por se tratar de um medicamento novo, para uma doença nova e que tem despertado maior interesse da população”, conclui a nota enviada pela Agência.

RESPOSTA DRA. MARIA EMILIA GADELHA SERRA: 

AFIRMAÇÃO FALSA DA AGÊNCIA LUPA:

“A maioria dos casos graves hoje em dia são de vacinados no Brasil. Isso nós vemos no dia a dia das últimas semanas. (…) Agora aqui no Brasil, o banco de dados da Anvisa, primeiro complexo pra você fazer uma notificação. Pra você olhar o sistema VigiMed, que é o sistema para ler os relatórios, e ter uma noção do que tava acontecendo. Por exemplo, eu fiz esse estudo no dia 12 de julho e depois no dia 30 de julho. E aí o aumento no número de casos.”

Faltou a transcrição correta da minha fala no vídeo mencionado, que foi retirada do contexto, o que é lamentável, cara Carol. Começou mal. Jornalismo de fundo de quintal e primário, em tempos de internet, quando tudo está registrado e pode ser conferido.

Segue a transcrição da minha fala original, para sua informação:

“O que nós temos é uma sensação, pelos comunicados dos médicos nos grupos de WhatsApp, que a situação está realmente crítica. “A maioria dos casos graves hoje em dia são de vacinados (no Brasil). Isso nós vemos no dia-a-dia nas últimas semanas.” Essa informação já existe vinda da Inglaterra, principalmente – isso está acontecendo- , em Israel…Essa informação vem de lá. Agora, aqui no Brasil, o banco de dados da Anvisa, primeiro, ele é complexo, para você fazer uma notificação, para você olhar o site Vigimed, para ler os relatórios, para ter uma noção do que está acontecendo…Por exemplo, eu fiz esse estudo no dia 12 de julho, depois no dia 30 de julho, e aí o aumento do número de casos. A Janssen mais do que dobrou o número de casos…(continua)”

Seguem esclarecimentos e orientações complementares, para seu registro:

1 – Reino Unido / Inglaterra:

“COVID: the reason cases are rising among the double vaccinated – it’s not because vaccines aren’t working 1 July 22, 2021 6.01am EDT Updated July 28, 2021 6.24am EDT

Sir Patrick Vallance, the UK’s chief scientific adviser, has announced that around 40% of people being admitted to hospital with COVID in the UK have been vaccinated.

https://theconversation.com/covid-the-reason-cases-are-rising-among-the-double-vaccinated-its-not-becausevaccines-arent-working-164797

According to the latest Public Health England data, around 15% of those being hospitalised have had two doses of a coronavirus vaccine.”

Tradução livre:

“COVID: a razão pela qual os casos estão aumentando entre os vacinados com duas doses – não é porque as vacinas não estão funcionando 22 de julho de 2021 6h01 EDT Atualizado em 28 de julho de 2021 6h24 EDT.

Sir Patrick Vallance, o principal conselheiro científico do Reino Unido, anunciou que cerca de 40% das pessoas admitidas em hospitais com COVID no Reino Unido foram vacinadas. E de acordo com os últimos dados do Public Health England, cerca de 15% dos hospitalizados receberam duas doses de uma vacina contra o coronavírus.”

2 – Israel:

“Quarta onda em Israel, com perda de eficácia de vacina, é alerta global2 Os novos contágios atingiram o maior patamar em seis meses, com sinais de queda significativa da proteção contra covid-19 nas pessoas mais velhas vacinadas no começo do ano.

Por Financial Times 18/08/2021 05h01 · Atualizado

Desde o fim do ano passado, Israel é um laboratório para o mundo. Após obter acesso antecipado à vacina da BioNTech/Pfizer em troca do compartilhamento de informações sobre os seus efeitos, Israel foi o primeiro país a comemorar a reabertura completa de sua economia, depois de chegar às duas doses da vacina em 70% de sua população no começo de abril.

Agora, um dos países mais vacinados do mundo está entre as primeiras a experimentar uma alarmante quarta onda de contágios – e hospitalizações – e corre para dar doses de reforço. O resto do mundo deveria estar atento a isso.

Os novos contágios atingiram o maior patamar em seis meses em Israel, com sinais de que a proteção contra covid-19 caiu significativamente para as pessoas mais velhas vacinadas no começo deste ano. Os dados têm ressalvas, mas a tendência é clara: entre seis a oito meses depois de tomada a segunda dose, a imunidade começa a diminuir.”

3 – Gibraltar:

“Fully-Vaxxed Gibraltar Sees 2500 PERCENT SPIKE in COVID-19 Cases Per Day, Initiates New Lockdowns3 Aug 4, 2021 2

https://valor.globo.com/mundo/noticia/2021/08/18/quarta-onda-em-israel-com-perda-de-eficacia-de-vacina-ealerta-global.ghtml

https://bigleaguepolitics.com/fully-vaxxed-gibraltar-sees-2500-percent-spike-in-covid-19-cases-per-dayinitiates-new-lockdowns/

EM OUTRO PONTO DA RESPOSTA A MÉDICA DESTACA:

AFIRMAÇÃO FALSA DA AGÊNCIA LUPA, QUE APARENTEMENTE DESCONHECE O CONCEITO DE “TERAPIA GÊNICA” EM OPOSIÇÃO AO CONCEITO DE “VACINA” E UTILIZA O ARGUMENTO DA AUTORIDADE PARA JUSTIFICAR A FALTA DE SEGURANÇA DOS PRODUTOS EXPERIMENTAIS ERRONEAMENTE DENOMINADOS “VACINAS”

“E aí as outras vacinas — Janssen, a AstraZeneza e a vacina de RNA mensageiro, que é a Pfizer no Brasil e a outra é a Moderna, nos Estados Unidos e na Europa — esses produtos são totalmente absurdos, no sentido de que não tem como você imaginar que você vai tornar uma pessoa ‘vacinada’”

>> BAIXE A RESPOSTA COMPLETA

Compartilhar:

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

covidflix

Outras Notícias